Clínica ProPlastica

Cicatriz da Mastopexia

Cicatriz da Mastopexia

Cicatriz da Mastopexia

O desejo de ter mamas bonitas, sem flacidez e bem definidas pode se tornar realidade através da mastopexia. Esta técnica consiste em retirar o excesso de pele dos seios, promovendo uma aparência simétrica e natural. Mas afinal, este procedimento deixa cicatriz? Como ficará a estética da sua cicatriz após a mastopexia? Estas e outras dúvidas serão esclarecidas aqui para você, pois é possível com alguns cuidados ficar com os seios lindos e volumosos e ainda com uma cicatriz de boa qualidade.

Tipos de cicatriz da mastopexia

O tipo de cicatriz resultante da mastopexia irá depender da técnica utilizada no seu procedimento. Vamos conhecer as 3 possibilidades de cicatriz da mastopexia:

  • Periareolar (ao redor da aréola): a técnica periareolar, envolve uma incisão na aréola. Essa técnica é o procedimento menos invasivo que chega a um pequeno grau de elevação. Por esse motivo, é indicada para pessoas com mamas pequenas ou que necessitam retirar pouca quantidade de pele.
  • Vertical: a técnica vertical envolve uma incisão em forma de V que se estende no contorno superior da aréola e abaixo da linha média da mama. Embora seja levemente mais invasivo, este procedimento chega a um grau mais alto de elevação do que a periareolar isolada. Por esse motivo, esse tipo de incisão é indicado para pessoas com flacidez de pele leve a moderada.
  • Formato “T” invertido: a técnica em “T” invertdido envolve uma incisão que se estende no contorno superior da aréola e lateralmente na porção inferior da mama. Embora seja o tipo que resulta em cicatrizes maiores da mastopexia, essa técnica chega a um maior grau de elevação. Por esse motivo, é indicada para pessoas com mamas que apresentam ptose mamária acentuada.

Fases da cicatriz

É importante ressaltar que as cicatrizes passam por uma evolução natural até atingir sua completa maturação. Destacamos algumas fases principais desse processo:

  • Período imediato: geralmente vai até o trigésimo dia após a mastopexia. A cicatriz normalmente é fina, mas ao encostar é endurecida  e ainda destacada pela cor vermelha ou marrom. Alguns casos apresentam discreta reação aos pontos ou ao curativo. Para uma melhor recuperação nessa fase é importante o repouso relativo dos braços ( não elevá-los acima dos ombros, não carregar peso ou realizar exercícios físicos)
  • Período intermediário: geralmente vai do trigésimo até 6 meses. A cicatriz começa a ficar mais macia, bem como se inicia a mudança de cor, passando do mais escuro (que pode ser vermelho ou marrom) ao mais claro. Como não é possível avançar o processo natural da cicatrização, é recomendando que as pacientes não se preocupem, pois o passar do tempo se encarregará de fazer com que a cicatriz fique o mais sutil possível. Para que isso aconteça, nessa fase é importante evitar a exposição ao sol.
  • Período tardio: este se completa, normalmente com 1 ano da cirurgia. Esta é a fase de resolução final do processo. A cicatriz se tornar o mais clara e macia possível, de acordo com a sua genética e adequada recuperação pós-operatória, diminuindo suas irregularidades. Qualquer avaliação de como ficará o resultado final da cicatriz, deve ser feito nesta época.

 

Cuidados no processo de cicatrização

No processo pós-operatório, é comum algumas alterações acontecerem em resposta do organismo à cirurgia e não são consideradas complicações. Um exemplo são, os edemas (inchaço) e equimoses (coloração arroxeada na região) que podem ocorrer em graus variáveis e não devem ser motivo de preocupação para os pacientes.

A preocupação deve se concentrar nos cuidados com o pós-operatório e em caso de qualquer desconforto que considerar anormal, é muito importante você procurar o seu cirurgião plástico.

  • Não trocar ou manipular os curativos, mesmo que haja um pequeno sangramento (normal acontecer). As trocas do curativo deve ser manipulada pela equipe cirúrgica;
  • Banho apenas com autorização e orientação médica;
  • Evite fazer esforço físico, ambientes quentes e exposição direta ao sol;
  • Evite movimentos bruscos e amplos com os braços, mantendo os cotovelos junto ao tronco;
  • Conforme orientação médica, não dirigir e não carregar peso por um período de aproximadamente de 3 semanas, podendo este prazo se estender;
  • Não deitar de lado ou de bruços até que seu médico cirurgião autorize;
  • Movimentar-se com frequência os membros inferiores no período de repouso para ativar a circulação e evitar trombose;
  • Usar o sutiã recomendado pelo médico durante todo dia, inclusive na hora de dormir, tirando apenas para tomar banho, geralmente por 30 dias. Conforme particularidade de cada caso, este prazo pode ser estendido.
  • Hábitos alimentares saudáveis;
  • Seguir a prescrição médica;
  • Retornar ao médico conforme datas e horários pré-agendados.

Qualidade da cicatriz

Alguns fatores contribuem para a qualidade da cicatriz. Veja algumas delas:

Genética: as condições genéticas e tipos de pele podem interferir na qualidade da cicatriz. O queloide, por exemplo, é uma cicatriz de característica grossa, em alto relevo, geralmente avermelhada, tem prevalência em negros e asiáticos, o que demonstra nítida influência genética.

Nutrição: vários fatores nutricionais influenciam na boa cicatrização. Podemos citar as vitaminas A, B, C, cobre, zinco, ferro, ácido fólico. A anemia, a hipoalbuminemia, assim com a falta de vitaminas podem comprometer a boa cicatrização.

Cuidados pós-operatórios: os cuidados corretos no período pós-operatório diminuem as chances de infecções e abertura dos pontos.

Tensão na cicatriz: a cicatrização é um processo complexo e duradouro e segue etapas cronológicas independentes da vontade e anseio do paciente. Para ter uma boa cicatriz de mastopexia é importante não se submeter à tração no local, portanto é necessário evitar esforço físico.

Responsabilidade do cirurgião plástico: os fatores referentes ao ato cirúrgico devem ser minuciosamente controlados, como por exemplo, técnica cirúrgica apurada, qualidade dos fios utilizados, limpeza da área operada, sangramento intra-operatório, tensão na cicatriz (toda cicatriz sob tensão excessiva tende ao alargamento).

Cuidado! Você provavelmente estará ótimo e se sentido tão bem após um curto período da cirurgia, normalmente após 7 dias, e poderá se esquecer que foi operado recentemente e cometer alguns deslizes que pode comprometer sua recuperação total e inclusive ter problemas na cicatrização. Portanto, controle sua euforia e evite possíveis transtornos!

Procure seu cirurgião plástico em caso de qualquer desconforto ou dúvidas no pós-operatório, pois sua saúde e bem estar devem vir em primeiro lugar.

Para mais informações, fique à vontade para marcar uma consulta. Escreva-me também através das redes sociais:
Instagram: @ProPlastica
Facebook: @ProPlasticaBH

Dra. Alexandra Rezende
Cirurgiã Plástica em Belo Horizonte – Hospital Dia ProPlastica
CRM: 50932 / RQE: 36056