Clínica ProPlastica

Fisioterapia

fisioterapia1

Conceito

Avaliação Fisioterápica

Objetivos

Recursos da Fisioterapia

Tratamentos Pós-operatórios

Dicas importantes

 

Conceito

A Fisioterapia Dermato Funcional é a especialidade clínica que estuda os efeitos terapêuticos ocorridos nas disfunções de ordem estética, com forte característica para aplicação de uma reabilitação de suas funções.

Na forma da Resolução COFFITO n.º . 80, a “Fisioterapia é uma ciência aplicada cujo objeto de estudos é o movimento humano em todas as suas formas de expressão e potencialidade, quer nas suas alterações patológicas, quer nas suas repercussões psíquicas e orgânicas, com o objetivo de preservar, manter, desenvolver ou restaurar a integridade de órgão, sistema ou função”. Diante do exposto, a Fisioterapia Estética/ Dermato Funcional prevê a recuperação físico – funcional dos distúrbios endócrino/metabólicos ,dermatológicos e músculo – esquelético.

É assim que se entende hoje como fisioterapia dermato funcional: a combinação entre a arte e a técnica, aonde são procuradas a função e a estética em benefício da saúde do paciente no sentido mais amplo.

Avaliação Fisioterápica

A avaliação fisioterápica é a chave principal na condução de um tratamento, onde o fisioterapeuta pode explorar o atual estado físico do paciente tornando compreensíveis suas queixas e duvidas sobre o estado em que se encontra.

É importante coletar informações acerca do curso da cirurgia realizada, importante questionar a respeito da presença de dor, alterações de sensibilidade e estado geral do paciente.

Questionar a respeito do tipo e data do procedimento que realizou inclusão ou não de prótese, nome do cirurgião responsável, tempo de internação e tipo de anestesia, medicamentos em uso, recomendações e restrições médicas, intercorrências cirúrgicas, localização e aparência da cicatriz, sensibilidade local e sinais clínicos.

No pós-operatório, o exame físico é restrito à inspeção e à palpação. Durante a inspeção, busca-se observar a presença de alterações funcionais, localização e extensão da cicatriz, coloração da pele, presença de fístulas, manchas, hematomas, equimoses, fibroses, edemas (inchaço) e linfedemas. Também é importante verificar se o paciente está em posicionamento de dor/ proteção. Durante a palpação, verificar a presença de dor, edema, temperatura local, sensibilidade geral e cicatrizes aderidas.

Pela palpação e observação das áreas corporais críticas, o examinador poderá classificar a fibrose tecidual em quatro níveis, obedecendo aos seguintes critérios:

Nível zero (N0): não foi detectado indício de fibrose após a avaliação visual e a palpação, nas posições: ereta e decúbito dorsal e ventral.

Nível um (N1): a fibrose somente é detectada após a palpação da região avaliada, com o paciente em decúbito dorsal e ventral.

Nível dois (N2): a fibrose é detectada após a avaliação visual do paciente na posição ereta. Entretanto, nas posições de decúbitos a detecção é feita após a palpação.

Nível três (N3): a fibrose é detectada após a avaliação visual, estando o paciente tanto na posição ereta quanto nos decúbitos dorsal e ventral.

Ao final da avaliação pós-operatória, devem ser traçados os objetivos do tratamento e a conduta terapêutica que será adotada. Considerando-se sempre que o paciente pós-operado deve ser inspecionado e reavaliado em sua evolução a cada atendimento, ajustando-se a conduta, se necessário.

Fonte: PORTAL EDUCAÇÃO

Objetivos

Melhorar o resultado da cirurgia

Acelerar o processo de recuperação

Dar qualidade de pós-operatório para o paciente

Diminuir edema (inchaço) da área operada,

Acelerar regressão dos hematomas

Reduzir quadro doloroso,

Corrigir irregularidades da pele

Obter de menor grau de fibrose

recursos da fisioterapia

Recursos da Fisioterapia

ULTRA SOM TERAPEUTICO ( U.S.T)

Esse recurso tem sido usado desde o final da década de 40 com finalidades terapêuticas.O ultra-som terapêutico (U.S.T.) é uma onda mecânica longitudinal não audível com freqüências acima de 20 KHz, onde a energia é transmitida pelas vibrações das moléculas do meio através da qual a onda está se propagando. Atualmente, existe no mercado ultra-som com freqüências de 1,0 MHz e 3,0 MHz, sendo o último indicado exclusivamente para a área de dermatologia por apresentar pequena capacidade de penetração.

O ultra-som pode emitir ondas contínuas ou pulsadas. Na forma pulsátil há um predomínio dos efeitos não térmicos ou mecânicos. Na forma contínua o efeito térmico prevalece .A aplicação do U.S.T. nos tecidos biológicos tem vários efeitos que induzem mudanças fisiológicas como, por exemplo, no reparo dos tecidos lesados. O efeito mecânico, também chamado de micromassagem pode resultar na aceleração do processo de reparo. Por isso usado em pós-operatórios recentes.

Já o efeito térmico do U.S. é considerado de grande importância e a quantidade de calor absorvida depende de vários fatores tais como: o grau de vascularização tecidual, freqüência do U.S, dentre outros.

Quando usado no pós-operatório, é recomendado que o ultra-som seja usado primeiramente no modo pulsátil para a obtenção do efeito mecânico. E o modo contínuo é mais indicado pelo efeito térmico, uma vez que é necessária uma alteração nas propriedades das fibras de colágeno (fibroses). O aumento da temperatura no tecido mole com fibroses e aderências, diminui a resistência tênsil permitindo a aplicação de alongamentos.

Indicações para o  uso do ultra-som na  fisioterapia dermato funcional/estética: tratamento de celulite; tratamento de gordura localizada; tratamento de pós-operatório.

MANTHUS

No ano de 2002, a empresa KLD Biosistemas e Equipamentos Eletrônicos Ltda., iniciou em seus laboratórios o projeto do equipamento computadorizado denominado Manthus®, com o objetivo principal de pesquisa o combate à adiposidade corporal.

O Manthus® é um equipamento composto por geradores de ultrassom e correntes de média frequência, através de estímulos elétricos tripolares, indicado para tratamento de FEG(celulite) e lipodistrofia (gordura) localizada. Também empregado em tratamento pré e pós-cirúrgico, drenagem linfática e drenagem de hematomas.

As contraindicações do aparelho incluem tumores malignos, gravidez, testículos, infecções, áreas de sensibilidade alterada, globo ocular, marcapasso, diabéticos e hipertensos não compensados e região de pescoço e face (KLD, 2009).

Existem muitos estudos comprovando a eficácia do manthus nos tratamentos de celulite, gordura localizada e pós-operatório. Os resultados começam a aparecer apartir da 4º sessão. Porém, as respostas são individuais.

CARBOXITERAPIA

A Carboxiterapia é o termo popularmente empregado para a terapêutica através da administração subcutânea (hipodérmica) do anidro carbônico – CO2. Tem sua origem nos anos 30 na estação de águas termais do Spa de Royat na França.

Inicialmente, o gás carbônico foi usado de forma tópica para o tratamento de doenças da circulação. Evoluiu e hoje tem aplicações na área da estética com indicações no tratamento da celulite, gordura localizada, flacidez de pele, fibroses e estrias. É indicado também como tratamento complementar das lipoaspirações para reduzir as irregularidades e diminuir aquele aspecto enrugado da pele através da melhora da elasticidade cutânea. (LOPEZ, 2005). A descoberta de sua eficiência estética, no entanto, é mais atual.

É uma nova técnica que utiliza o gás carbônico (CO2) aplicado sob a pele. O CO2 é um gás inodoro e não provoca alergias. Utilizado corretamente é isento de complicações e não apresenta toxicidade.

O gás carbônico quando perfundido via subcutâneo causa uma vasodilatação periférica e conseqüentemente aumento do fluxo sangüíneo para área. Existem evidencias em achados histológicos que o gás carbônico promove microfraturas no tecido adiposo sem alteração do tecido conjuntivo e com aumento na produção de colágeno. Dai a indicação para tratar gordura localizada, celulite e flacidez.

As evidencias da melhoria da atividade do fibroblasto foi demonstrado após 20 sessões de aplicação subcutânea de CO2. Houve ainda demonstração de melhoria nas irregularidades cutâneas após lipoaspiração, a qual estaria relacionada aos efeitos lipolíticos (queima de gordura) do gás e uma ação positiva sobre a elasticidade cutânea.

O tratamento com carboxiterapia permite ainda resolução de processos inflamatórios através da melhora da circulação e do metabolismo dos tecidos da região tratada.

Causam a melhora da microcirculação; redução do edema ( inchaço) ; melhora da nutrição celular; eliminação de toxinas; aumento do metabolismo local; redução das áreas de fibrose; Melhora a elasticidade e o tônus da pele,  Cicatrização de lesões ulceradas; melhora das lesões de psoríase; redução de teleangectasias e vasos varicosos de pequeno e médio porte.

As indicações principais, de acordo com estudos médicos, são todas as fisiopatologias onde há processo inflamatório; necessidade de neovascularização (surgimento de vasos sangüíneos novos); e oxigenação e rejuvenescimento de tecidos. Ou seja, tratamento de celulite, fibrose, gordura localizada, flacidez cutanea.

Como todo tratamento, a carboxiterapia apresenta algumas contra indicações que são: Flebite; Gangrena; Epilepsia; Insuficiência cardíaca / respiratória; Insuficiência renal / hepática; Hipertensão arterial severa; infecção, gestação, e, acrescento, alterações de comportamentos psiquiátricos.

Não existe nenhum caso documentado de efeito colateral importante ou complicações decorrentes do tratamento com Carboxiterapia. Os possíveis para efeitos limitam-se à dor branda e a pequenos hematomas decorrentes da punção. Também se percebe sensação de crepitação no local, resultante de pequeno enfisema subcutâneo.

RADIOFREQUÊNCIA

A radiofrequência é um tipo de corrente de alta frequência que gera calor por conversão, atingindo profundamente as camadas de tecidos promovendo a oxigenação, nutrição e vasodilatação dos tecidos.

A radiofrequência é um radiação no espectro eletromagnético que gera calor compreendida entre 30 KHz e 300 MHz. Esse tipo de calor alcança os tecidos mais profundos gerando energia e forte calor sobre as camadas mais profundas da pele, mantendo a superfície resfriada e protegida, ocasionando a contração das fibras colágenas existentes e estimulando a formação de novas fibras, tornando-as mais eficientes na sustentação da pele.

A radiofrequência é indicada em todos os processos degenerativos que impliquem na diminuição ou retardo do metabolismo, irrigação e nutrição, sendo em geral em patologias crônicas. Também é indicado por provocar aumento da vasodilatação e irrigação abaixo da zona tratada, além da oxigenação e nutrição dos tecidos.

Os efeitos térmicos da radiofrequência provocam a desnaturação (lesão) do colágeno promovendo imediata e efetiva contração de suas fibras, ativando fibroblastos ocorrendo a neocolagenização(nova formação de colágeno) alterada em diâmetro, espessura e periodicidade, levando a reorganização das fibras colágenas e subsequente remodelamento do tecido.

É indicada para pacientes com flacidez cutânea leve a moderada, para a melhora do contorno facial e corporal, atenuação de sulcos, tratamento da lipodistrofia ginóide (celulite) e fibroses decorrentes de pós operatório.

É contraindicado o uso da radiofrequência em indivíduos com transtorno de sensibilidade, com o uso de metais intraorgânicos, osteossínteses, implantes elétricos, marcapasso, sobre glândulas que provoquem aumento de hormônio, grávidas, em focos infecciosos, neoplasias, pacientes que estejam ingerindo vasodilatadores ou anticoagulante, hemofílicos e em indivíduos com processos febris.

DRENAGEM LINFÁTICA

A drenagem linfática é uma técnica de massagem que atua diretamente sobre o sistema linfático, acelerando a renovação dos líquidos extracelulares. É um método de massagem altamente especializado, feito com pressões suaves, lentas, intermitentes e relaxantes, que seguem o trajeto do sistema linfático. Tem por objetivo aprimorar algumas de suas funções, trazendo vários benefícios, como redução de edemas linfáticos e pós-operatórios, celulite, retenção hídrica, entre outros problemas. Ao mesmo tempo proporciona a regeneração e a defesa dos tecidos, aumenta a diurese e a eliminação de toxinas, desenvolvendo o equilíbrio do organismo.

A drenagem é indicada nos quadros de estase venosa, edema ou retenção de líquidos, onde estão comprometidos os sistemas circulatórios sangüíneo e linfático, pois os capilares encontram-se obstruídos ou comprimidos, o que provoca um acúmulo de catabólitos como, por exemplo, toxinas e um déficit metabólico, onde há deficiência no aporte de nutrientes reduzindo a função dos tecidos. Nesses casos, a drenagem otimiza a circulação permitindo que o tecido passe a realizar suas trocas metabólicas com eficiência e realize suas funções adequadamente.

Existem  diferentes tecnicas de drenagem linfatica dentre as quais modemos citar o metodo vodder, leduc, propelli. Estas técnicas  de drenagem vêm sendo aprimoradas com o passar dos anos e  hoje além de ser realizada através da técnica manual, também por ser realizada através equipamentos estéticos específicos.

Os benefícios da técnica são os mais diversos, tendo como indicação : indispensável após cirurgias estéticas e reconstrutoras como a lipoaspiração e abdominoplastia, pois ativa a circulação sanguínea diminuindo o processo inflamatório causado pela cirurgia. Outra indicação é a drenagem durante a gestação, pois ajuda a relaxar e aliviar os inchaços característicos da gravidez, visto que, reduz a retenção de líquidos. A drenagem atua também na diminuição dos sintomas da TPM uma vez que elimina toxinas que causam a irritação, além de, melhorar a retenção de líquidos. Outra aplicação da drenagem esta na técnica facial que traz como beneficio o retardo do envelhecimento, eliminação das marcas de expressão na região dos olhos, pois atua na ativação da circulação sanguínea, a mais utilizada nas clínicas de estética é a drenagem para o tratamento de celulites.

LED

O termo LED surgiu de Light Emitter Diode (Diodo Emissor de Luz), cujos princípios de funcionamento como a fotobioestimulação, atuam em forma de cascata de respostas celulares resultando na modulação da função celular, proliferação celular e reparação das células comprometidas, sendo experimentados inicialmente no crescimento de plantas .Outra característica importante é que o LED não causa aumento de temperatura significante.

Pode-se aplicar na Fisioterapia Dermatofuncional e em cuja eficácia clínica tem diversas finalidades variando de acordo com seu comprimento de onda de 405nm (luz visível azul) a 940nm (infravermelho).Cada comprimento de onda apresenta determinadas reações no organismo.

Fisiologicamente o LED  atua  em processos inflamatórios, se a aplicação for imediata, além de acelerar a fisiologia da inflamação reduz as lesões e consequentemente a dor. Também apresenta efeito rejuvenescedor atuando na síntese de fibroblastos, aumentando a deposição de colágeno tipo I e reduzindo a atividade da colagenase nas papilas dérmicas.

O Led estimula e dispara o processo natural de regeneração celular do próprio corpo, prevenindo os efeitos do envelhecimento. Os diferentes comprimentos de ondas atingem células específicas, as quais são responsáveis pela síntese e reparo das estruturas de suporte da pele. Portanto trata-se de um poderoso recurso para procedimentos estéticos podendo ser utilizado só ou como coadjuvante antes ou após estes procedimentos.

Indicações: pós -operatório; processos inflamatórios; rejuvenescimento; tratamento de acne; alivio de dor.

Contra indicação: Gestantes;Epilepsia e Câncer de pele

ENDERMOLOGIA

A endermologia é um sistema não-invasivo de massagem do tecido subcutâneo que utiliza um sistema de vácuo e rolos. O aparelho criado pelo engenheiro francês Louis Paul Guitay em 1970, simultaneamente levanta os tecidos subcutâneos usando o vácuo e “enrola” os tecidos entre o par de rolos fixos.

Esse aparelho é constituído por um vácuo e dois rolos móveis que deslizam sobre a pele. Os rolos exercem uma força positiva na pele e tecido subcutâneo, e a sucção mobiliza a gordura e a pele dentro do cabeçote do vácuo. Essa movimentação dos rolos, produz uma mobilização do tecido adiposo mais eficiente que a massagem manual.

O método proposto é chamado de “mobilização hipodermal aspirada” que essencialmente suga uma camada da pele e a enrola entre dois rolos giratórios, desorganizando progressivamente o tecido adiposo e gradualmente aplainando-o através de vários tratamentos.

Inicialmente, foi criado para tratar aderências de queimaduras e aliviar dores musculares. Atualmente, tem sido utilizado como um recurso complementar às práticas de cirurgia plástica para tratamento das irregularidades superficiais, além de ser um método efetivo no tratamento da celulite.

A endermologia é efetiva para o tratamento da celulite e pode melhorar ainda mais os resultados da lipoaspiração diminuindo a necessidade de correções pós- cirúrgicas.Uma vez que, tende a aplainar a pele corrigindo as possíveis imperfeições que ocorrem principalmente em aspirações de grandes volumes de gordura.

Indicações: melhorar a celulite e diminuir gordura localizada; aliviar tensões musculares; eliminação de toxinas, melhorar da circulação sanguinea e linfática; diminuir  edema (inchaço).

CORRENTE RUSSA

Na década de 1970, trabalhos foram publicados dando conta de que uma corrente interrompida de média freqüência (2500 Hz) foi utilizada para prover maior ganho de força muscular que aquela obtida através da contração muscular voluntária. Esta forma de corrente foi denominada de corrente russa, e sua técnica terapêutica foi chamada de estimulação russa.

Essa é uma das técnicas fisioterapêuticas mais utilizadas atualmente na área dermato- funcional que tem proporcionado resultados satisfatórios em tratamentos estéticos, principalmente no que diz respeito a fortalecimento muscular.

A flacidez muscular é um problema comum que pode apresenta-se de duas formas distintas: a flacidez muscular e a de pele. É muito comum que os dois tipos de flacidez apareçam associados, dando um aspecto ainda pior às partes do corpo afetadas pelo problema. Em geral, uma das causas da flacidez dos músculos por causa da falta de exercícios físicos. Se eles (músculos) não são solicitados, as fibras musculares ficam hipoatrofiadas e flácidas.

A eletroestimulação ou corrente russa é um recurso bastante utilizado no tratamento de ganho de força muscular e estética corporal. É uma corrente de média freqüência que está sendo muito utilizada na prevenção e no tratamento da flacidez. Esta consiste numa corrente de média freqüência alternada de 2.500Hz, aplicada como uma série de disparos separados, utilizada com o objetivo de produzir a potencialização muscular intensa reduzindo ao máximo a percepção sensitiva do paciente.

A eletroestimulação que o aparelho promove é capaz de agir tanto sobre as fibras brancas responsáveis pela velocidade, quanto sobre as vermelhas, de sustentação, e ainda sobre as intermediárias. Agindo assim promove um ganho de força muscular e aumento do tônus.

A corrente russa pode ser utilizada sozinha ou associada à atividade física e acredita-se que a utilização da mesma associada à prática regular de exercícios físicos com carga possa acelerar a hipertrofia muscular promovendo um beneficio maior.

Indicações: flacidez muscular e drenagem linfática de membros inferiores.

Contra indicações: Cardiopatias congestivas, portadores de marca-passo, patologias circulatórias como flebites, embolias, varizes, tromboflebites, gestantes, hiper e hipotensos descompensados, processos infecciosos e inflamatórios, neoplasia, renais crônicos, patologias pulmonares como efisema pulmonar, epilepsia, regiões com dermatites ou dermatoses e lesões musculares.

CINESIOTERAPIA

É a designação dos processos terapêuticos que visam a reabilitação funcional através da realização de movimentos ativos e passivos. Tem como objetivo prevenir, eliminar ou diminuir os distúrbios do movimento e função.

A cinesioterapia ativa é assim a parte da fisioterapia que utiliza o movimento provocado pela atividade muscular do paciente com uma finalidade precisamente terapêutica.

Quando ocorre um comprometimento, isso limita ou altera a habilidade de um individuo para desempenhar uma atividade. Uma avaliação é realizada para verificar o grau da limitação funcional através de informações subjetivas, dados objetivos ( inspeção, palpação, testes…) e análises. Apartir de então será elaborado um plano de tratamento.

Na fisioterapia dermato funcional, aplicamos “o movimento” para restaurar a função principalmente após cirurgias, aonde o trauma tecidual pode causar limitação do  movimento por aderencia nos tecidos moles. Também utilizamos para evitar complicações respiratórias, trombose venosa, fraqueza muscular.

Tratamentos Pós-operatórios

Após a avaliação, conhecidas as queixas e as alterações envolvidas no processo damos inicio ao tratamento de recuperação de forma a colocar você funcional no menor espaço de tempo.A cada sessão, avaliamos quais as necessidades antes de intervir.

No 1º e 2º dia após a operação, observamos “o pico” de dor. Falta de posição pra tudo: dormir, assentar, andar. Muito desconforto, afinal de contas a pessoa “dorme bem” e acorda “atropelada”. No 3º/4º dia, quando voçê espera ter uma melhora, vem o inchaço. São os dias que mais incham. Também muito incomodo, uma vez que, parece que voçê não vai caber dentro da cinta e/ou sutiã compressivo. Nessa fase, o ideal é fazer bastante repouso, tomar muita água, comer pouco mas com intervalos menores e iniciar o tratamento fisioterapêutico.

Iniciando precocemente até o 5º dia, a fisioterapia pode proporcionar alivio para os seus desconfortos iniciais. A sua dor é muito valorizada, então a intervenção inicia de forma progressiva.

E para quem acha que recuperar do pós-operatório é só drenagem linfática manual está muito enganado! A fisioterapia dispõe de alguns recursos físicos que podem e muito alavancar seu pós-operatório.

  1. O uso da fototerapia, nesse momento, através do LED (Light emitting diode) tem apresentado excelente resultados, uma vez que, o mesmo atua diminuindo o processo inflamatório e estimulando a cicatrização.
  2. Ultra som terapêutico e / ou manthus ( tipo de ultra som associado com uma corrente )

também são recursos físicos imprescindível no processo de recuperação. Existem inúmeros trabalhos comprovando a eficácia desses recursos que atuam na melhora da circulação e consequentemente no processo de cicatrização. Mas, para a eficácia do recurso é necessário o conhecimento de eletroterapia e mecanismo de ação para calcular a dose e tempo adequados para cada paciente.

  1. Drenagem linfática

é a denominação que muitos dão ao tratamento de pós-operatório. Recurso manual ou feito com aparelhos,é de extrema importância na recuperação. Essa é um tipo de massagem que atua diretamente sobre o sistema linfático, acelerando a renovação dos líquidos extracelulares. É um método de massagem altamente especializado, feito com pressões suaves, lentas, intermitentes e relaxantes, que seguem o trajeto do sistema linfático. Tem por objetivo aprimorar algumas de suas funções, trazendo vários benefícios, como redução de edemas (inchaço) linfáticos, celulite, retenção hídrica, entre outros problemas. Ao mesmo tempo proporciona a regeneração e a defesa dos tecidos, aumenta a diurese e a eliminação de toxinas, desenvolvendo o equilíbrio do organismo. Como dito anteriormente, a pressão mecânica da massagem elimina o excesso de líquidos dos tecidos (estes se encontram como uma esponja encharcada) para os vasos venosos e linfáticos.Com o “trauma” da cirurgia, ocorrem lesão de capilares sanguineos e linfáticos causando inchaço e lentificação na cicatrização porque ocorre a eliminação incompleta dos sangramento e dos líquidos infiltrados. Com a introdução da drenagem linfática, logo após a cirurgia, ocorre uma aceleração do processo cicatricial. Uma vez que, a eliminação do edema intersticial (inchaço), “aproxima” os capilares sanguíneos do tecido danificado aumentando a nutrição e oxigenação, fatores importantes no processo de reparação tecidual.

  1. Endermologia ou vacuoterapia

Recurso usado pela fisioterapia com precaução. A endermologia é um sistema não invasivo de massagem do tecido subcutâneo que utiliza um sistema de vácuo e rolos. Os rolos exercem uma força positiva na pele e tecido subcutâneo, e a sucção mobiliza a gordura e a pele dentro do cabeçote do vácuo. Essa movimentação dos rolos produz uma mobilização do tecido adiposo mais eficiente que a massagem manual. Usado com pressões baixas e de modo continuo para realizar drenagem linfática nos pós-operatórios recentes e de forma pulsada com pressões um pouco mais elevadas para melhorar o aspecto das fibroses.

  1. Cinesioterapia

Outro ponto a ser abordado é a introdução de exercícios passivos/ alongamentos na recuperação das cirurgias. Estes também devem ser indicados com cautela e de acordo com cada caso. A mobilidade normal da pele também precisa ser mantida para que o movimento normal ocorra. A elasticidade da pele permite que ela ceda ao alongamento durante os movimentos ativos ou passivos do corpo. As cicatrizes não cedem facilmente ao alongamento. Movimentos precoces quando possível, irão minimizar as retrações devido à cicatrização. Quando o tecido cicatricial forma-se entre tecidos normais e restringe o movimento entre esses tecidos, ocorre uma adesão que limita a mobilidade e função. Em geral, podemos resolver isso com exercícios/ alongamentos. A imobilização prolongada precisa ser evitada, se possível, para prevenir a formação de fibrose. Procedimentos para a manutenção da mobilidade são realizados passivamente.

  1. Carboxiterapia

A carboxiterapia é a injeção subcutânea de gás carbônico (CO2) cujo objetivo principal é aumentar a oxigenação tecidual. Injetamos o gás carbônico e o próprio organismo se encarrega de fazer a troca por oxigênio. É um recurso complementar nos pós-operatórios principalmente de lipoaspiração quando há irregularidades no tecido decorrentes de fibrose ou gordura. Também é indicada para melhorar a vascularização de retalhos cirúrgicos, uma vez que o CO2 atua, sobretudo na microcirculação vascular do tecido conjuntivo, promovendo uma vasodilatação e aumento da drenagem veno-linfática. Outro ponto positivo da carboxiterapia está no que diz respeito à elasticidade da pele. Com isso, podemos esperar efeitos positivos da terapia com CO2 sobre a gordura localizada e elasticidade cutânea da pele em pacientes que realizaram lipoaspiração. Em casos de aderências cicatriciais, o gás carbônico também é utilizado por causar um efeito mecânico de “descolamento” das estruturas aderidas.

  1. Radiofrequência

Esse é um dos melhores recursos que a fisioterapia pode dispor para tratar tanto distúrbios estéticos quantos intercorrências dos pós-cirúrgicos. Ele atua nas fibras de colágeno principal componente dos tecidos fibrosados. A radiofrequência é um radiação no espectro eletromagnético que gera calor. A temperatura da pele aumenta e consequentemente ocorre aumento do fluxo sanguíneo local e aquecimento tecidual para deixar o tecido cicatricial mais flexível para manipulações. Isso facilita a mobilização cicatricial para tratar fibroses e/ou evitar a ocorrência destas. Dessa forma, a radiofrequência permite o tratamento eficaz das fibroses e aderências, tornando a superfície da pele mais uniforme. Ainda no contexto dos cuidados pós-operatórios, caso o paciente venha a apresentar uma pequena flacidez de pele, no pós-lipoaspiração são indicadas aplicações de radiofrequencia para promover a “termocontração do colágeno dérmico” (efeito lifting) com encurtamento e espessamento das fibras de colágeno, e estimular a atividade dos fibroblastos para que haja a nova formação de colágeno e elastina, visando o aumento da firmeza e elasticidade da pele. Para isso, a temperatura considerada terapêutica na faixa de 40 a 42°C deve ser mantida na superfície da pele durante toda a aplicação. Além disso, esta temperatura estimula a remodelagem tecidual para melhor alinhamento das fibras colágenas.

Dica infalível

fica a dica

Na fisioterapia, recomendamos também a utilização de uma placa de contenção de espuma para evitar marcações e dobraduras na pele, decorrentes da utilização do modelador compressivo. Tudo bem que você vai parecer um “bob esponja”, barriga quadrada, mas faz parte do pacote. Além disso, tem a função de acelerar a regressão do edema (inchaço) e inibir o endurecimento da fibrose. Em geral, são indicadas para pós-operatório de lipoaspiração (abdome e flancos) e abdominoplastia. Mas também podem ser usadas em culotes.

Desfilar com a espuma (bob esponja) não é uma coisa muito agradável aos olhos de quem acabou de ser submetida a um procedimento estético com o objetivo de melhorar o visual. Mas vale a pena o “sacrifício”, uma vez que a evolução da recuperação se dá de maneira bem mais rápida e com menos intercorrências.