Clínica de Cirurgia Plástica BH

5 dicas para evitar queloide pós-cirurgia

5 dicas para evitar queloide pós-cirurgia

A cicatriz queloidiana ou o famoso queloide é uma marca relativamente comum que surge no corpo de pessoas que passam por algum tipo de cirurgia ou cicatrização de feridas. Essas pessoas precisam ter uma predisposição genética para que o queloide apareça no corpo delas. A cicatriz aparece mais quando os devidos cuidados no pós-operatório não são tomados da maneira correta. Um problema vivenciado principalmente pelos pacientes que não seguem as dicas e regras dadas pelo cirurgião. O que aumenta a tensão sobre a cicatriz e, consequentemente, as chances de se adquirir um queloide.

Para identificar um queloide é relativamente simples. Basta observar se aquela cicatriz está em alto relevo, ultrapassa os limites da ferida, avermelhada e se causa coceira ou dor. Evitar o queloide não é simples, pois é uma tendência genética, ou seja, não é possível prever ou controlar 100%. Mas existem medidas que são fundamentais para diminuir o risco dessa alteração na cicatriz. Por isso, todo cuidado deve ser tomado para evitar ao máximo esse problema.

Veja abaixo 5 dicas para diminuir o seu risco de ter um queloide:

 

É fundamental realizar consultas pré-operatórias

Um exame físico pré-operatório bem feito e uma boa investigação do histórico de saúde do paciente é muito importante, pois são as únicas formas de descobrir se ele tem predisposição a ter cicatriz queloidiana. Associado a isso, deve-se investigar outros problemas que possam ocorrer na cirurgia. Assim o paciente pode saber dos seus riscos e decidir se quer ou não realizar o procedimento. Além de ter a possibilidade de evitar demais problemas que vierem a aparecer.

 

Fique atento às orientações de cuidados pós-operatórios para evitar o queloide

 As recomendações indicadas pelo seu cirurgião são muito importantes para evitar uma cicatrização de má qualidade. Ainda mais se você tiver histórico de ter esse problema. Cuidados como evitar esforço físico, não carregar peso, restringir movimentações especificas para cada tipo de cirurgia, manipular corretamente dos curativos, não faltar aos retornos são fundamentais para uma boa evolução da cirurgia. Quanto mais você obedecer à ordem médica, menores são as chances de ter queloide.

 

Descubra onde será feita a incisão no seu corpo

 Existem partes do corpo que o risco de ter queloide é maior, como nas costas, áreas de dobras, colo e orelhas, por exemplo. Para evitar isso, o médico pode comprimir a região da cicatriz no pós-operatório, uma medida fundamental para prevenir o queloide.

 

Use os curativos, pomadas ou cremes receitados pelo seu cirurgião plástico

 Cada tipo de cicatriz exige o uso de determinados tipos de cremes e pomadas para a melhor recuperação. Os curativos também são muito importantes para a evolução positiva do seu quadro como paciente. Por isso, não modifique a sua receita sem antes conversar com o cirurgião plástico.

 

Use corretamente a malha cirúrgica e, se necessário, a fita de silicone

 A última dica para evitar a queloide é muito simples de ser feita. Após a maioria das cirurgias plásticas é indicado o uso de malha cirúrgica por vários motivos. Um deles é pelo efeito de compressão, o que também diminui o risco de queloide. A fita de silicone também é importante por atuar da mesma forma que a malha. A pressão sobre o local diminui o fluxo sanguíneo na região e também a produção de colágeno, o que evita a formação do queloide.

 

Caso tenha alguma dúvida sobre o queloide e como descobrir se tem ou não predisposição a este problema, ligue para o nosso telefone (31) 3282-2339 e marque uma consulta.