Clínica ProPlastica

Mamoplastia X Mastopexia. Quais as diferenças?

Mamoplastia X Mastopexia. Quais as diferenças?

Mamoplastia ou Mastopexia? Cirurgias plásticas nas mamas estão entre as mais realizadas no Brasil, e a procura tão grande por esses procedimentos trazem consigo muitas dúvidas também. Vemos atualmente uma recorrente confusão entre os procedimentos, várias pacientes não sabem bem o que esperar de cada cirurgia e por esse motivo desenvolvemos esse artigo. Uma das dúvidas mais comuns está entre os procedimentos de mastopexia e mamoplastia. Afinal, para que serve cada um deles? Qual é o mais indicado para cada pessoa? Como é o processo de cicatrização e resultado final?

Você já ouviu falar em Mamoplastia ou Mastopexia? Há vários tipos de cirurgias plásticas que podem ser feitas na região das mamas femininas, sendo possível aumentar os seios, diminuir os seios, levantar os seios e até mesmo reconstruir, trazendo vários benefícios à mulher. As cirurgias plásticas nas mamas estão entre as mais realizadas no Brasil e além da grande procura por esses procedimentos muitas pessoas trazem consigo muitas dúvidas também.

Então vamos lá:

 

Tipos mais comuns de cirurgia de mama: mamoplastia, mastopexia e reconstrução mamária

Mamoplastia de aumento, mamoplastia redutora, mastopexia e reconstrução mamária são as cirurgias mais procuradas, mas são inúmeros os tipos de cirurgias nos seios disponíveis em clínicas especializadas e hospitais. Sobre qual a técnica mais indicada, o cirurgião plástico, após uma análise das mamas e do seu corpo, poderá indicar o procedimento mais adequado para cada caso.

Abaixo, abordaremos o conceito e indicação para cada um desses procedimentos:

 

Mamoplastia – Envolve diretamente a alteração do volume da mama. Para as mulheres com seios fartos, o que pode causar danos à coluna, o indicado é a mamoplastia redutora. Já o tão falado silicone serve para aumentar a mama, e esse procedimento leva o nome de mamoplastia de aumento.

 

Mamoplastia de aumento: é uma cirurgia plástica com o objetivo de aumentar a mama, fazendo o uso de implantes de silicone para dar volume aos seios ou restaurar o volume mamário perdido após perda de peso ou gravidez. Nestes casos, é colocada uma prótese de silicone que faz aumentar o volume, sendo que seu tamanho varia de acordo com cada corpo e expectativa da mulher, podendo ser colocada por cima do músculo do peito ou por baixo deste. O cirurgião plástico, junto com a paciente, definirá qual o tamanho ideal da prótese a ser utilizada.

Na mamoplastia de aumento, ou cirurgia plástica com prótese de silicone, é feito um pequeno corte nos seios em torno da aréola, ou na parte inferior da mama ou ainda na axila, por onde é introduzida a prótese de silicone, que faz aumentar o volume do seio.

As cicatrizes variam de acordo com os locais onde foram feitos os cortes na pele, sendo frequentes as pequenas cicatrizes na aréola ou na parte inferior da mama ou axila. As cicatrizes ficam bem pequenas, com cerca de 3 a 5 cm. O tamanho varia de acordo com o tamanho da prótese e da qualidade da pele da paciente.

A mamoplastia de aumento é indicada para pessoas com mamas muito pequenas e que desejam aumentar os seios, mulheres que perderam o volume dos seios após gravidez, amamentação e perda de peso.

 

Mamoplastia redutora: é o nome dado à cirurgia para redução dos seios, quando estes se encontram em tamanho e peso acima das características anatômicas do tórax. Este procedimento contempla benefícios às mulheres com seios muito grandes, o que geralmente proporciona incômodo estético entre elas.

Os critérios para definir a quantidade de tecido mamário a ser retirado são:

  • Dimensão de tórax
  • Grau de hipertrofia mamária
  • Satisfação pessoal da paciente

Existem várias técnicas na medicina para a redução da mama, mas, geralmente é feita a retirada do excesso de tecido mamário e pele de uma determinada região da mama e em seguida, o remodelamento delas, dando-as um formato natural.

O tamanho e o formato da cicatriz variam de acordo com cada caso. Geralmente, fica uma cicatriz periareolar até uma maior, em formato de “T” invertido, que se inicia ao redor da aréola e se complementa com uma linha vertical e outra horizontal. Normalmente essas cicatrizes ficam em regiões onde é possível camuflá-las da melhor maneira possível.

A mamoplastia redutora é indicada para mulheres com mamas grandes e com algum grau de ptose que desejam reduzir seu tamanho. Em casos de gigantomastia, onde é retirado mais de um quilo de tecido mamário de cada mama, também é recomendada a mamoplastia redutora. Esse tipo de mama pode causar envergadura da coluna em função do seu peso. A mamoplastia redutora também pode ser adaptada para homens que possuem ginecomastia (aumento do volume das mamas), permitindo eliminar o excesso de tecido mamário que cresce nestes casos. Nesta cirurgia, é removido o excesso de gordura e pele, atingindo um tamanho de mama proporcional ao corpo.

Nos últimos anos uma nova indicação surgiu, o uso da prótese na mamoplastia redutora, onde é realizada a retirada do excesso de pele e tecido mamário e introduzida a prótese. A vantagem é uma consistência mais firme para as mamas e um colo mais marcado,  mas a desvantagem é a retirada desnecessária de um tecido saudável que não terá necessidade de troca e sem complicações a longo prazo como as próteses.

 

Mastopexia: conhecida também como lifting de mamas, a mastopexia não altera o tamanho das mamas. Esta cirurgia tem como objetivo reverter o caimento natural dos seios (ptose mamária), reposicionar a aréola e a pele com flacidez, elevando as mamas até sua posição original, promovendo sua simetria. A mastopexia é indicada para a correção das mamas caídas e flácidas, ou em casos de perda de elasticidade da pele, em que os mamilos ficam caídos devido a mudanças bruscas de peso, amamentação, envelhecimento e até mesmo a ação da gravidade. Dessa maneira, a mastopexia é indicada para mulheres que, mesmo satisfeitas com o tamanho das mamas, não estão plenamente felizes com a forma. Nesse procedimento reposicionamos a aréola e removemos a pele excessiva.

De acordo com cada caso, nesta cirurgia, o cirurgião plástico levanta a mama, removendo o excesso de pele e comprimindo o tecido, sendo comum a realização simultaneamente com mamoplastia de aumento ou redução. Leia sobre mastopexia com uso de prótese de silicone.

As cicatrizes são permanentes, mas dependendo do tipo de pele da muler, ao longo do tempo elas se tornam imperceptíveis. Na maioria das vezes, as cicatrizes acompanham o trajeto da incisão (periareolar, com ou sem linha vertical, ou em “T” invertido).

A mastopexia é indicada para mulheres que apresentam flacidez e caimento das mamas em função do envelhecimento, grande variação do peso ou amamentação.

mamoplastia x mastopexia

Reconstrução Mamária – Como o próprio nome diz, é um procedimento indicado para reconstruir as mamas que por alguma razão tenham sido retiradas, o que acontece em casos de câncer de mama, por exemplo. Para realizar esse procedimento é preciso avaliar cada caso conforme a quantidade de tecido perdido, o procedimento pode ser feito transferindo retalhos de tecidos de alguma outra parte ou mesmo implantando uma prótese de silicone. A reconstrução mamária irá restaurar a forma, aparência e tamanho da mama que, por algum motivo foi retirada. Este procedimento é comum em casos de mastectomia ou de mutilação da mama em casos de acidentes.

Geralmente, é necessário fazer a reconstrução de mama por etapas. A maioria dos casos exige uma segunda intervenção e em alguns casos, uma terceira intervenção, até que se alcance o formato e a aparência satisfatórios para a mama.

A cicatriz de uma reconstrução mamária depende da técnica utilizada. Todas as cirurgias deixam cicatrizes e precisam de tempo para se tornar mais discretas. Geralmente, apenas após um ano que a cicatriz estará definida.

A reconstrução mamária é indicada para pessoas que tiveram que remover parte da mama devido a situações de câncer ou em caso de mutilação por acidentes.

 

Pós-operatório da cirurgia plástica nos seios

A recuperação irá depender de cada paciente e da técnica utilizada. Geralmente, são necessárias, em média, 4 semanas e nos primeiros dias é normal sentir algum tipo de desconforto na região. Para que a paciente tenha uma recuperação melhor são necessários alguns cuidados de acordo com o tempo e recomendações estabelecidas pelo cirurgião plástico:

  • Dormir de barriga para cima;
  • Usar uma bandagem elástica ou sutiã, para suportar os seios. Geralmente nas 4 primeiras semanas;
  • Tomar os cuidados necessários de higiene com os curativos;
  • Evitar fazer muitos movimentos com os braços, como conduzir automóveis ou fazer exercício intenso, durante 30 dias;
  • Evitar exposição intensa ao sol;
  • Fazer uso da medicação segundo as orientações do médico.

 

Posso substituir um procedimento por outro?

Não é possível substituir um procedimento por outro, afinal cada um possui uma indicação diferente e suas técnicas são feitas especialmente para cumprir um objetivo em específico. O que pode ser feito é a combinação das cirurgias, visando um resultado final mais harmônico e que te deixe satisfeita. Um bom exemplo disso é o que grande parte das mulheres fazem: a combinação de mastopexia com prótese.

O cirurgião plástico é o especialista indicado para te ajudar a realizar o procedimento correto e com segurança de acordo com sua necessidade.

 

 

Você ainda tem dúvidas sobre cirurgias nas mamas?

Escreva-me através das redes sociais:
Instagram: @ProPlastica
Facebook: @ProPlasticaBH

Dra. Alexandra Rezende
Cirurgiã Plástica em Belo Horizonte – Hospital Dia ProPlástica
CRM: 50932 / RQE: 36056