fbpx

Clínica ProPlastica

Ética na cirurgia plástica

Ética na cirurgia plástica

Um profissional preparado e capacitado sabe a importância da ética na Cirurgia Plástica. Portanto, quando falamos deste assunto, abrangemos diversos aspectos que envolvem a conduta do cirurgião plástico na prática de suas funções.

O que é Código de Ética Médica?

Sobretudo, o Código de Ética Médica institui princípios da prática profissional e normatiza as relações do médico com pacientes e familiares, com outros médicos, instituições de saúde, bem como sua conduta no âmbito do sigilo e responsabilidade profissional.

Além disso, tratam de questões mais específicas do exercício da Medicina, regulando a postura do profissional em relação à doação e transplantes de órgãos, reprodução assistida, manipulação genética, situações clínicas terminais, conduta do cirurgião plástico nas mídias sociais, confidencialidade, dentre outros.

Contudo, ao estabelecer deveres e normas para a conduta do médico, o Código de Ética Médica é uma garantia para a sociedade de qualidade, segurança, e respeito no trabalho realizado por médicos de todo o país, tanto da rede pública como privada.

Sobretudo, o documento também destaca pontos disciplinando a postura dos médicos em relação ao ensino e pesquisa, auditorias e perícias, documentos médicos e publicidade médica.

Existe um limite na Cirurgia Plástica?

É nesse momento que um cirurgião plástico experiente e, principalmente, comprometido com valores éticos, faz toda a diferença. Isso porque é importante considerar que qualquer procedimento cirúrgico, por mais seguro que seja, envolve riscos. Por isso, é fundamental que o paciente seja submetido a uma avaliação criteriosa antes da indicação da cirurgia plástica.

Sobretudo, colocar seu desejo de mudança nas mãos de um profissional responsável é fundamental para obter resultados duradouros e seguros. Contudo, um cirurgião plástico experiente e ético é capaz de avaliar com franqueza e sinceridade se a cirurgia plástica é realmente indicada para o seu caso ou se trata de uma questão que precisa ser avaliada por outros profissionais, como psicólogos.

Profissionais com esse tipo de orientação também estão sempre dispostos a conversar com suas pacientes sobre suas expectativas com relação ao resultado que será obtido. Isso porque não é incomum encontrar pessoas que chegam ao consultório com projeções irreais a respeito das possibilidades de uma cirurgia plástica.

Mas, é sempre importante ter em mente que um procedimento cirúrgico envolve diversos fatores, que vão da idade e do histórico clínico da paciente à qualidade da sua pele. Por isso, o resultado obtido por uma amiga ou mesmo por uma celebridade não necessariamente será idêntico no seu caso.

Também é preciso se perguntar quais são os motivos que levam ao desejo de fazer uma cirurgia plástica. No geral, é bastante comum que algumas pacientes coloquem no procedimento expectativas irreais não só com relação aos resultados, mas às mudanças que a cirurgia trará para sua vida.

Lembre-se sempre de que se trata de um procedimento estético que pode ajudá-la a sentir-se mais bonita e autoconfiante. Mas, não uma solução mágica para problemas que envolvem relacionamentos pessoais e profissionais, por exemplo.

O cirurgião plástico deve zelar pelos seus pacientes

O compromisso do cirurgião plástico com seus pacientes é o mais importante e o especialista deve zelar por isso, cuidando para assisti-lo de forma adequada, sem expô-lo. Assim, exibir pacientes ou seus retratos em anúncios profissionais ou na divulgação de assuntos médicos, em meios de comunicação em geral, mesmo com autorização do paciente, não é permitido.

Zelar pelo paciente e pelo sigilo profissional é parte importante da ética na cirurgia plástica. Afinal, a conduta do cirurgião plástico é o que estabelece o vínculo de confiança que o paciente constrói com ele. Comprometer essa credibilidade devido a práticas anti-éticas significa nunca mais recuperá-la.

Formação do Cirurgião Plástico

A habilitação para um cirurgião plástico depende de alguns fatores obrigatórios. Embora o Conselho Federal de Medicina (CFM) conceda a permissão para que qualquer médico formado possa realizar qualquer ato médico, o título de especialista para cirurgia plástica eleva o nível de qualidade e segurança do procedimento.

Isso porque os cirurgiões plásticos dedicam 11 anos de sua vida aos estudos dessa especialidade. Veja os pré-requisitos para a formação de um cirurgião plástico especializado em cirurgia plástica:

  • Depois de concluir a faculdade de Medicina, o cirurgião plástico deve fazer outra formação específica;
  • Durante dois ou três anos o médico passa pela residência em cirurgia geral;
  • Após este período, ele dedica mais três anos de estudos para a residência médica em cirurgia plástica;
  • Após as formações devidas, o profissional deverá ser aprovado em uma avaliação escrita e outra oral, aplicada pela Sociedade Brasileira de Cirurgia Plástica (SBCP) e pela Associação Médica Brasileira (AMB). Só então ele será considerado um especialista em cirurgia plástica.

Concluindo, saúde de todo o ser humano é a prioridade dos médicos. É em benefício do paciente que os cirurgiões plásticos devem agir, com toda a capacidade profissional e respeito aos limites, mesmo que isso signifique desagradar ao paciente.

Sobretudo, a competência e prudência são duas das ferramentas de trabalho dos cirurgiões plásticos que atuam com seriedade. É direito do paciente receber as informações relacionadas ao seu diagnóstico, prognóstico, riscos e objetivos da cirurgia plástica. Mas também é direito do cirurgião plástico recusar-se a realizar atos médicos que considere inapropriados. Isso também é agir com ética.

Para mais informações, fique à vontade para marcar uma consulta. Escreva-me também através das redes sociais:
Instagram: @ProPlastica
Facebook: @ProPlasticaBH

Dra. Alexandra Rezende
Cirurgiã Plástica em Belo Horizonte – Hospital Dia ProPlastica

Enviar Whatsapp
Olá! Como posso te ajudar?
Olá! Posso te ajudar?
Você tem dúvidas sobre algum procedimento específico?