Clínica ProPlastica

Mastopexia sem prótese – Quando está indicada?

Mastopexia sem prótese – Quando está indicada?

Muitas mulheres não se sentem satisfeitas com a aparência dos seios caídos e esta situação causa desconforto, além de afetar a autoestima. Você sabia que é possível minimizar esta característica através da mastopexia sem prótese?

A técnica da mastopexia permite levantar os seios sem o uso do silicone. Vamos começar o texto explicando primeiramente o que é mastopexia.

O que é mastopexia?

A mastopexia é a cirurgia plástica das mamas com o objetivo de retirar o excesso de pele e reposicionar os tecidos mamários. E como resultado a paciente terá mamas com aspecto simétrico e proporcional, gerando uma harmonia corporal.

A causa da queda das mamas pode vir do ganho e perda excessivos de peso, amamentação, mamas muito grandes e até mesmo o envelhecimento. Sobretudo, a mama tem um determinado volume e a pele que a recobre é adequada a ele. Caso ele aumente, a pele precisa esticar para se adaptar ao novo formato. Se por algum motivo esse volume é perdido, a pele não volta ao seu estado original, causando flacidez e dando o aspecto caído.

O que é mastopexia sem prótese?

Na técnica da mastopexia sem prótese, a mama é remodelada usando o próprio tecido do seio.

Durante o procedimento, o cirurgião plástico tira apenas o excesso de pele preservado ao máximo o tecido mamário, apenas remodelando o mesmo para deixá-lo com um aspecto mais arredondado e simétrico. O volume é remodelado com o objetivo de deixar a mama com aspecto mais jovem e firme.

A cirurgia de mastopexia também permite reposicionar a aréola dos seios. Ou seja levantar as mamas.

É importante frisar que a cirurgia de mastopexia sem prótese não retarda o processo de envelhecimento. Sendo assim, com o tempo a queda da mama pode voltar, já que a pele continuará perdendo elasticidade.

 

Quando a mastopexia sem prótese é indicada?

Geralmente, o que irá definir se o implante de silicone será usado ou não é textura da mama. Quando a paciente tem a pele com uma textura boa e tem a mama mais glandular e mais firme, nesse caso, o silicone não precisa ser utilizado.

Já nos casos de uma mama com a glândula muito gordurosa, mole ou atrófica é recomendado a mastopexia com prótese. Ou ainda, se a paciente deseja um colo mais alto, uma mama mais firme e maior.  Sendo assim, nesses casos também a indicação é para mastopexia com prótese.

Resumindo: mamas com tamanho que agrade a paciente, mas que possuem flacidez é indicado mastopexia sem Prótese. Já as mamas pequenas e com flacidez o indicado é mastopexia com prótese.

 

Cicatriz

O tipo de incisão será definido pelo cirurgião plástico de acordo com a quantidade de pele a ser retirada.

Vamos conhecer alguns cortes e o formato da cicatriz:

Técnica periareolar

Trata-se de uma incisão ao redor das aréolas. No geral, essa opção é a menos invasiva e chega a um pequeno grau de elevação. Portanto, é indicada para pessoas com mamas pequenas ou que apresentam ptose mamária de grau leve.

Técnica vertical

A técnica vertical se estende no contorno superior da aréola e abaixo da linha média da mama, formando um pirulito. Este procedimento chega a um grau maior  de elevação que a pediátricas. Por esse motivo, é indicado para pessoas com mamas com um pouco mais de flacidez, mas não resolve casos com muita sobra de pele.

Técnica em âncora

Esta incisão se estende no contorno da aréola, verticalmente na linha média da mama até a parte inferior da mama na horizontal formando uma âncora ou um T invertido.. Trata-se de um tipo mais invasivo, mas essa técnica permite um maior grau de elevação. Por isso, é indicada para pessoas com mamas grandes e que apresentam ptose mamária acentuada.

Vale ressaltar que, em qualquer caso a mastopexia irá deixar cicatriz. Mas, o aspecto final dela irá depender do tipo de pele da paciente, bem como, os cuidados realizados no período pós-operatório.

Fases da cicatriz

É importante ressaltar que as cicatrizes passam por uma evolução natural até atingir sua completa maturação. Destacamos algumas fases principais desse processo:

  • Período imediato: geralmente vai até o trigésimo dia após a mastopexia. A cicatriz normalmente é fina, mas ao encostar é endurecida e ainda destacada pela cor vermelha ou marrom. Alguns casos apresentam discreta reação aos pontos ou ao curativo. Para uma melhor recuperação nessa fase é importante o repouso relativo dos braços (não elevá-los acima dos ombros, não carregar peso ou realizar exercícios físicos)
  • Período intermediário: geralmente vai do trigésimo até 6 meses. A cicatriz começa a ficar mais macia, bem como se inicia a mudança de cor, passando do mais escuro (que pode ser vermelho ou marrom) ao mais claro. Como não é possível avançar o processo natural da cicatrização, é recomendando que as pacientes não se preocupem, pois o passar do tempo se encarregará de fazer com que a cicatriz fique o mais sutil possível para o caso específico. Para que isso aconteça, nessa fase é importante evitar a exposição ao sol.
  • Período tardio: este se completa, normalmente com 1 ano da cirurgia. Esta é a fase de resolução final do processo. A cicatriz se torna mais clara e macia possível, de acordo com a sua genética e adequada recuperação pós-operatória, diminuindo suas irregularidades. Qualquer avaliação de como ficará o resultado final da cicatriz, deve ser feito nesta época.

Cuidados após a cirurgia

Para que a paciente tenha bons resultados, é preciso alguns cuidados específicos no período pós-operatório.

 

  • Fazer o repouso de acordo com as recomendações do médico;
  • Evitar deitar de barriga para baixo ou de lado com o seio operado apoiado nos primeiros 30 dias após a cirurgia;
  • Evitar exposição ao sol durante 6 meses após a cirurgia;
  • Utilizar sutiã modelador, sem costuras, durante 24 horas por 30 dias após a cirurgia, deve tirar apenas para tomar banho, e depois mais durante 30 dias, mas só durante a noite;
  • Evitar movimentos de grande amplitude dos braços, como levantar ou carregar pesos;
  • Realizar uma alimentação saudável, preferindo verduras,  legumes, frutas, carnes  e ovos;
  • Evitar a ingestão de doces, frituras, refrigerantes e bebidas alcoólicas, além de não fumar.

 

Em caso de qualquer desconforto que considerar anormal, é muito importante você procurar o seu cirurgião plástico.

 

Procure um médico de confiança e que seja cirurgião membro da SBCP, para que ele possa fazer a avaliação adequada das suas mamas com o objetivo de realizar o procedimento adequado.

Para mais informações, fique à vontade para marcar uma consulta. Escreva-me também através das redes sociais:
Instagram: @ProPlastica
Facebook: @ProPlasticaBH

Dra. Alexandra Rezende
Cirurgiã Plástica em Belo Horizonte – Hospital Dia ProPlastica

 

×
Olá! Posso te ajudar?
Você tem dúvidas sobre algum procedimento específico?